sábado, 3 de março de 2012

Ocaso

Você pode limpar sua casa, tirar o cocô do seu quintal e encerar o carro da sua irmã, enquanto a noite não chegar. Você pode mexer na antena de sua TV e gritar de lá de cima: "E agora, ficou bom?", mas só enquanto a noite não chegar. Você pode pintar ornamentos nas bordas das paredes, aqueles pequenos cujo há notável dificuldade em enxergá-los, mas experimente tirá-los que verás fácil a diferença. Sim, você pode, mas só enquanto a noite não chegar. Você pode explorar o mato do terreno baldio ao lado da sua casa, apenas por aventura, apenas por diversão. Você se sentiria melhor em meio aos pássaros e as quaresmeiras de fevereiro. Mas poderá enquanto a noite não regressa, apenas. Você pode soltar pipa com  os pequenos seres ou fazer-lhes um carrinho de rolimã, enquanto a noite não chegar. Você pode consertar aquele velho banco que sentarás há muito tempo atrás, dentre outras coisas mais, hoje oblíquas às tuas vontades, mas pode apenas enquanto a noite não chegar. Podes consertar-te, mas algo diz-me que não vais. Impiedosa, a noite nunca tarda a tardar-se. De mãos limpas, depois de um longo dia, deitarei no piso limpo de meu quintal e observarei pela última vez as lindas estrelas do fim deste verão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário