quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Beta-endorfina


Não me lembro mais qual foi a última vez que te vi. Não me lembro dos nossos olhos se tocarem no ar. Não consigo me lembrar da sua roupa ou do seu cabelo naquele dia, elementos que outrora não me saiam da memória. Não me lembro mais quais foram nossas últimas palavras trocadas e também já me esqueci onde exatamente estávamos. Não me lembro de ter dito adeus.

Durante muito tempo imaginei que a vida seria o jogo simples que costumávamos jogar. No meu imaginário, não exista toda essa guerra, essa ambição, esse desejo de sempre querer mais. No meu interior, era impossível caber mais, posto que tudo o que eu sempre necessitei já estava ali, muito bem guardado, ocupando o que sou... ocupando o que eu era. Só que agora não sou nada. E ainda sou alguma coisa. Então o que eu fui, de fato?

Estou me esquecendo das suas expressões, do brilho nos teus olhos, do tom da sua pele. Mal consigo ver na mente como era o seu cabelo ou a sua estatura. Não me lembro muito bem do seu cheiro ou das roupas que você costumava usar. Estou me esquecendo da sua voz, embora eu possua bem guardado um registro dela gravado. Eu poderia me lembrar para sempre, mas não vou. Antes, eu não tinha coragem. Hoje não preciso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário